Boletim Crescimento Inclusivo - Edição 48 - Dezembro, 2018

 

 

 

 

Boletim Crescimento Inclusivo

Caro(a) Leitor(a),

Na última edição bimestral de 2018 do Boletim de Crescimento Inclusivo, temos a satisfação de apresentar a nova edição da revista Policy in Focus dedicada a políticas de proteção social sensíveis às necesidades das crianças em todo o mundo, além dos estudos publicados em português em dezembro e novembro.

À medida que nos preparamos para 2019, gostaríamos de expressar nossa sincera gratidão pelo apoio contínuo recebido de instituições parceiras, organizações internacionais e nossa rede global de milhares de colaboradores, especialistas, formuladores de políticas e acadêmicos, bem como todos os amigos do Centro - incluindo você, caro(a) leitor(a).

A Equipe do IPC-IG deseja-lhe Boas Festas!

 

Nova revista Policy in Focus

As crianças representam aproximadamente metade (50,2%) da população mundial que vive em extrema pobreza, de acordo com dados recentes do Banco Mundial e UNICEF. O impacto da pobreza nas crianças acarreta consequência para a vida toda, incluindo saúde e nutrição precárias e baixo desempenho acadêmico. As políticas de proteção social podem desempenhar um papel crucial ao abordar a natureza multifacetada da pobreza infantil e seus efeitos perniciosos a longo prazo, melhorando o bem-estar geral das crianças.

Políticas de proteção social sensíveis às necessidades das crianças são o foco da nova edição da revista Policy in Focus do IPC-IG, intitulada em inglês "Social Protection: meeting children's rights and needs"( Proteção Social: atender às necessidades e aos direitos das crianças).

As editoras especialistas convidadas Anna Carolina Machado e Charlotte Bilo (IPC-IG) reuniram 15 artigos inspiradores escritos por líderes acadêmicos, pesquisadores e gestores de políticas públicas, que compartilham diferentes perspectivas sobre os principais desafios enfrentados na promoção de programas de proteção social para crianças na América Latina, na Asia, no Oriente Médio e na África sub-sahariana. Leia mais sobre essa edição especial aqui (em inglês).

Mais novas publicações

A maioria dos 20 países da região do Oriente Médio e Norte da África (MENA, na sigla em inglês) tem algum tipo de garantia legal em relação à proteção social em suas constituições. No entanto, apenas cinco - Bahrein, Egito, Irã, Iraque e Marrocos - asseguram claramente o direito à proteção social ou a um padrão de vida adequado às crianças.

Essas são algumas das descobertas do estudo intitulado em inglês “Children’s Right to Social Protection in the Middle East and North Africa (MENA) Region—an Analysis of Legal Frameworks from a Child Rights Perspective “ (“O direito das crianças à proteção social na região do Oriente Médio e do Norte da África - uma análise dos marcos legais sob uma perspectiva dos direitos da criança”), publicado pelo IPC-IG. Leia mais aqui.

O estudo na íntegra está disponível em inglês. O Sumário Executivo e o One Pager estão disponíveis em português.

Nesta edição do Boletim, trazemos ainda os últimos artigos da série de One Pagers que apresenta cada um dos 20 países mapeados no estudo intitulado em inglês "Overview of non-contributory social protection programmes in the Middle East and North Africa (MENA) region though a child and equity lens" ("Visão geral dos programas de proteção social não contributiva na região do Oriente Médio e do Norte da África (MENA) sob a perspectiva da infância e da equidade "). Os quatro novos estudos são sobre: Emirados Árabes Unidos; Iêmen; Tunísia; e Síria.

Os estudos já lançados são: Arábia Saudita, Argélia, Bahrein, Djibouti, Egito, Irã, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Líbia, Marrocos, Omã, Palestina, Qatar e Sudão. Para acessá-los, clique aqui.

Leia a lista completa de publicações em português aqui.

Diálogo Sul-Sul

Prepare-se para os próximos seminários virtuais na plataforma socialprotection.org em 2019

Nossos colegas e parceiros da plataforma socialprotection.org, dedicada a temas de proteção social, estão preparando dois novos seminários virtuais (webinars) para o início do próximo ano.

Em 15 de janeiro, o IPC-IG e o UNICEF MENARO organizarão o webinar em inglês "The role of zakat in the provision of social protection" ("O papel do zakat na provisão de proteção social"), parte de uma série webinars em proteção social na região do MENA. Inscreva-se aqui gratuitamente e participe da comunidade on-line de Proteção Social na região MENA , se você tiver interesse em acompanhar as discussões mais recentes sobre o tópico.

Se você quiser saber mais sobre o zakat, sugerimos a leitura do One Pager "O papel dos fundos zakat na oferta de proteção social em países de maioria muçulmana: uma comparação entre Jordânia, Palestina e Sudão"

Em 17 de janeiro, a GIZ organizará o webinar "Do Public Works Programmes work? Design and implementation features for programme success". Increva-se aqui gratuitamente.

Nós convidamos você a se cadastrar gratuitamente na plataforma socialprotection.org, que é desenvolvida pelo IPC-IG.

IPC-IG na Expo GSSD 2018

A Oficial Sênior de Projetos do IPC-IG, Mariana Balboni, participou da Exposição Global de Desenvolvimento Sul-Sul (GSSD Expo 2018), organizada pelo Escritório das Nações Unidas para Cooperação Sul-Sul (UNOSSC), na sede da ONU, de 26 de novembro a 1º de dezembro. No evento, ela apresentou a plataforma socialprotection.org como uma das iniciativas de apoio à cooperação Sul-Sul para a consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs)

Seminário apresenta estudo com propostas para a gestão sustentável da água e do saneamento no Brasil

O “Seminário Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Água e Saneamento: propostas para a implementação no Brasil” apresentou os principais achados de um estudo inédito conduzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) para o aperfeiçoamento da implementação e do monitoramento, no Brasil, do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número seis (ODS6), relativo à água e ao saneamento.

Realizado em 11 de dezembro, evento reuniu diversos especialistas, gestores públicos e representantes do setor privado, de organizações do terceiro setor e da sociedade civil na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília.

O estudo apresentado é um dos principais trabalhos no nível global sobre o ODS6, da Agenda 2030 das Nações Unidas, principalmente por se tratar do primeiro elaborado para um país como o Brasil, cujas dimensões e as complexidades na gestão dos recursos hídricos e de saneamento apresentam desafios e oportunidades específicas para a implementação do ODS6. O estudo forneceu subsídios ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), à Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (CNODS) e à ANA para nortear iniciativas, políticas e programa para a implementação do ODS6.

Leia o Resumo Executivo do Relatório Final sobre “Água, Saneamento e o ODS6 no Brasil” aqui

Seminário sobre cooperação internacional e o financiamento para o desenvolvimento

O IPC-IG, juntamente com o Ipea e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), organizou o seminário “Cooperação Internacional: Financiamento para o Desenvolvimento”, nos dias 12 e 13 de dezembro, em Brasília.

O objetivo do seminário de dois dias foi apresentar para discussão os resultados preliminares de dois estudos realizados pela Diretoria de Estudos e Relações Econômicas e Políticas Internacionais (Dinte), do Ipea, com o apoio da AFD e do IPC-IG.

O primeiro estudo buscou identificar, classificar e qualificar os fluxos de recursos da Ajuda Oficial ao Desenvolvimento destinados ao Brasil, com foco em projetos que promovem o desenvolvimento sustentável do país. O segundo estudo analisou o crédito concessional brasileiro à luz de compromissos internacionais assumidos pelo país.

Estudo revela que 23% dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam

Cerca de 23% dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam - os chamados jovens nem-nem- e em sua maior parte são mulheres e de baixa renda.  É o que revela uma pesquisa do Ipea, que contou com o apoio operacional do IPC-IG.

Esse percentual é um dos maiores na região da América Latina e do Caribe. Por outro lado, 49% dos jovens brasileiros se dedicam apenas ao estudo ou capacitação, 13% só trabalham e 15% trabalham e estudam ao mesmo tempo. Já na América Latina e no Caribe, o número de jovens que não trabalham nem estudam chega a 20 milhões de pessoas.

O estudo do Ipea faz parte de uma pesquisa regional intitulada "Millennials na América Latina e no Caribe: trabalhar ou estudar", que entrevistou mais de 15 mil jovens entre 15 e 24 anos, em nove países da região da América Latina e do Caribe com realidades econômicas e sociais diferentes: Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Haiti, México, Paraguai, Peru e Uruguai.

O estudo foi financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Centro de Pesquisas Canadense para o Desenvolvimento Internacional (IDRC), e foi coordenada regionalmente pela fundação chilena Espacio Público. No Brasil, pesquisa foi realizada pelo Ipea. Clique para acessar a pesquisa completa Millennials en América Latina y el Caribe: ¿trabajar o estudiar? (em espanhol)

Notícias

O ano de 2018 foi uma grande jornada de trabalho e realizações para o Centro. Gostaríamos de recapitular brevemente nossos esforços para a produção e o compartilhamento de conhecimentos, que, juntamente com o fortalecimento de capacidades, compõem os três pilares fundamentais do trabalho do IPC-IG.

Durante o ano, o Centro implementou 24 projetos nas áreas de proteção social, aprendizagem Sul-Sul, monitoramento e avaliação, segurança alimentar e nutricional, desenho de políticas públicas e fortalecimento de capacidade institucionais em Angola, no Brasil, no Egito, no Quênia, em Moçambique e nos 20 países da região do Oriente Médio e Norte da África (MENA).

O IPC-IG acredita que a livre circulação do conhecimento  inspira as pessoas a produzirem novas investigações e contribui para um futuro mais inclusivo. De acordo com essa filosofia, parte da missão do Centro é apresentar seus estudos com base em evidências sobre questões relacionadas ao desenvolvimento, por meio de diferentes formatos de publicações, disponíveis em diversos idiomas.

Em 2018, o Centro produziu 172 novas publicações, de temas como segurança alimentar e nutricional, proteção social e gênero, educação e monitoramento e avaliação. Além da  nova edição especial da revista Policy in Focus deste mês, este ano publicamos uma edição da revista voltada à questão da participação da mulher no mercado de trabalho e outra sobre o debate em torno de políticas de salário mínimo como ferramentas para o combate à desigualdade.

Próxima edição

A próxima edição do Boletim Crescimento Inclusivo será publicada em fevereiro de 2019, repleta de novos estudos. Até lá!